Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes

logo_17_fmje_extensoActividade > Notícias

Realiza-se este ano, em Dezembro, na África do Sul, o 17.º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes, com o lema  "Derrotemos o Imperialismo, Por um Mundo de Paz, Solidariedade e Transformação Social!", e, em Portugal,  foi já criado o Comité Nacional Preparatório (CNP), que tem a responsabilidade de preparar a participação de jovens portugueses naquele que é a maior realização juvenil à escala mundial. Em debate estarão temas tão importantes e centrais como os direitos da juventude, as liberdades e a luta contra a guerra e as ocupações. A URAP já aderiu ao CNP português.

«Os Festivais Mundiais da Juventude e dos Estudantes começaram a realizar-se após a 2ª Guerra Mundial, em 1947, nascidos da necessidade sentida pelo movimento juvenil internacional de se unir em torno de questões que afectam os jovens e os povos de todo o mundo.


Organizados por um conjunto muito alargado de organizações, os festivais reflectem as diversas expressões do movimento juvenil à escala internacional, regional ou nacional, assumindo a Federação Mundial da Juventude Democrática um papel dinamizador muito importante. Em Dezembro de 2010, na África do Sul, irá realizar-se o 17º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes (FMJE), com o lema "Derrotemos o Imperialismo, Por um mundo de Paz, Solidariedade e Transformação Social!"

Os dezasseis festivais já realizados assumiram-se como os maiores momentos de encontro de jovens que, no plano internacional, se unem para discutir questões relacionadas com a paz, a solidariedade entre os povos, os direitos humanos, e também a educação, o emprego, a democracia, a cultura, o ambiente, entre outros. Estes são momentos privilegiados para partilhar experiências, conhecer diferentes realidades e contactar diversas organizações de todo o mundo. Os festivais têm assumido, desde o primeiro momento, um papel de destaque a nível internacional, por serem representativos do amplo movimento juvenil e estudantil, contando com a participação e envolvimento de milhares de organizações juvenis de centenas de países. Estes são momentos de uma larga e aberta discussão, que procura soluções efectivas para os problemas da actualidade, revestindo-se assim de um carácter activo e reivindicativo.

Também em Portugal, a juventude se encontra na luta por um país melhor, democrático e de justiça social. Numa altura em que o povo e a juventude carregam nos ombros o preço de uma crise causada pelos interesses capitalistas, em que vê os seus direitos a serem permanentemente atacados e o seu futuro hipotecado, a juventude portuguesa já demonstrou o seu potencial reivindicativo. A força da juventude foi fundamental para a concretização da Revolução de Abril e continua a ser fundamental para transformar o país e a realidade em que vivemos. Assistimos a grandiosas manifestações de estudantes do Ensino Secundário, do Ensino Superior, de jovens trabalhadores, bem como outras iniciativas em torno das questões do acesso à cultura e ao desporto, do ambiente, entre outras, que demonstram a combatividade dos jovens portugueses. Lutar por um mundo melhor é lutar, no nosso país, por uma Educação democrática e pública para todos, pelo trabalho digno e com direitos, pelos direitos da juventude. O 17º FMJE reflectirá o amplo movimento juvenil e estudantil à escala internacional. Deverá reflectir, através da participação portuguesa, as aspirações da juventude que em Portugal luta pelos seus direitos, como lutam os jovens de todo o planeta, por um mundo de paz, solidariedade entre os povos, pela democracia, pelo direito à educação, à saúde, ao trabalho, à cultura, ao desporto, enfim, pelos mais fundamentais direitos da juventude.

A organização do festival em cada país está ao encargo de um Comité Nacional Preparatório, espaços de encontro entre várias associações juvenis que, no seu próprio país, preparam e organizam o festival. O Comité Nacional Preparatório (CNP) português tem como objectivo a divulgação e afirmação do festival junto dos jovens portugueses e terá também ao seu encargo a constituição da delegação que irá representar Portugal no festival e que levará os contributos dos jovens portugueses. Pretende-se que este CNP, ainda numa fase muito embrionária, seja representativo da juventude portuguesa e que tenha expressão a nível nacional. Até ao momento, o CNP português é constituído pelas seguintes organizações: Interjovem, Juventude Comunista Portuguesa, Movimento Democrático de Mulheres, Associação Projecto Ruído, Conselho Português para a Paz e Cooperação, Ecolojovem, Os Pioneiros de Portugal, Ordem da Cavalaria do Sagrado Portugal, Associação de Estudantes da Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Raínha, União de Resistentes Anti-fascistas Portugueses, Associação Fronteiras.

O Comité Nacional Preparatório português apela aos estudantes e aos jovens portugueses que se envolvam na preparação e realização do 17º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes. Juntos, iremos fazer deste mais um grande momento de afirmação dos nossos direitos e dos nossos ideais. Um momento de luta contra o Imperialismo, por um mundo de paz e solidariedade. Assim, convidamos a vossa associação a subscrever o Apelo aos jovens e estudantes de todo o mundo, bem como a integrar o Comité Nacional Preparatório Português.»

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..