URAP no Congresso Extraordinário da FIR e na comemoração do 60.º aniversário

100_3365.jpgUma delegação da URAP, composta pela sua coordenadora, Marília Villaverde Cabral e pelo membro do Conselho Directivo e membro do Comité Executivo da Federação Internacional de Resistentes - Associação Antifascista (FIR), David Pereira, participou entre 1 e 3 de Julho no programa oficial do XVI Congresso Extraordinário da FIR e da cerimónia comemorativa dos 60 anos desta estrutura em Viena na Áustria. Esta reunião magna foi expressamente convocada para a eleição do presidente do Comité Executivo da FIR, cargo vago desde 12 de Setembro de 2010 pelo falecimento de Michel Vanderborght.

A simultaneidade dos dois eventos justificou-se por ter sido exactamente na cidade vienense que no dia 1 de Julho de 1951 foi fundada a FIR, há exactamente 60 anos. Do programa oficial fez também parte uma visita ao antigo Campo de Concentração de Mauthausen, nas imediações da cidade de Linz, erguido pelo nazismo durante o período de anexação e ocupação do território austríaco.

100_3336s.jpgAntes mesmo do início do Congresso teve lugar uma pequena reunião preparatória do Comité Executivo da FIR na sede da organização austríaca de veteranos e resistência (KZ Verband) onde se confirmou a presença no Congresso do dia 1 de Julho de 32 delegados provenientes de 25 organizações de veteranos da guerra, resistência, sobreviventes dos campos de concentração, deportados e perseguidos de 15 países da Europa (Albânia, Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Dinamarca, Grécia, Holanda, Hungria, Israel, Itália, Portugal e Rússia). Entretanto, nesse encontro ultimaram-se aspectos relativos à organização e programa oficial para o Congresso, as homenagens e as comemorações dos 60 anos da FIR.

100_3340s.jpgEm seguida os 32 delegados e os diversos convidados iniciaram os trabalhos do Congresso na antiga Câmara Municipal de Viena, situada no seu centro histórico. Após a aprovação dos integrantes para a comissão eleitoral desta reunião magna da FIR, os dois candidatos a presidente do Comité Executivo da FIR intervieram no sentido de fazerem a apresentação dos seus perfis e perspectivas sobre o trabalho futuro na presidência desta estrutura. Quer Christos Tsintzilonis (PEAEA da Grécia), quer Vilmos Hanti (MEASZ da Hungria), ambos vice-presidentes da FIR, enalteceram a importância do movimento da resistência antifascista no momento actual, e afirmaram a necessidade da FIR intervir politicamente no contexto da situação internacional actual e na esteira da tradição do movimento da resistência dos povos ao nazi-fascismo que contribuíra em 1951 para a própria fundação da estrutura. Seguiram-se intervenções de diversos delegados representantes das organizações membro da FIR que se debruçaram sobre as perspectivas que sustentavam para o futuro do trabalho da presidência da FIR.

100_3344s.jpgApós esse período aberto a intervenções dos delegados presentes, procedeu-se à votação secreta para presidente do Comité Executivo da FIR, tendo sido eleito o húngaro Vilmos Hanti. Entretanto, foi comunicada a proposta do Comité Executivo de alargamento para mais um vice-presidente do Comité Executivo da FIR, que foi aceite por unanimidade pelos delegados presentes e significando que este órgão passava a juntar três vice-presidentes. Também foram propostos mais dois membros do Comité Executivo da FIR a juntar-se aos dois membros já eleitos desde 2010. Todos estes nomes foram aprovados unanimemente pelos 32 delegados presentes.

A constituição do novo Comité Executivo da FIR, composto por dez membros, é a seguinte: presidente: Vilmos Hanti (MEASZ, Hungria); vice-presidente: Christos Tsintzilonis (PEAEA, Grécia); vice-presidente: Piet Schouten (AfVN-BVA, Holanda); vice-presidente: Ilija Kraijev (PKBBBC, Rússia); secretário-geral: Ulrich Schneider (VVN-BdA, Alemanha); tesoureiro: Heinz Siefritz (VVN-BdA, Alemanha); membro: Efim Korolev (PKBBBC, Rússia); membro: Chavdar Stoimenov (BAU, Bulgária); membro: Inge Ellerich (KZ Verband, Áustria); membro: David Pereira (URAP, Portugal).

No dia 2 de Julho, realizou-se igualmente na sala das sessões da antiga Câmara Municipal de Viena, o acto comemorativo dos 60 anos da FIR (1951-2011). Estiveram presentes os delegados e convidados do Congresso do dia anterior, e vários resistentes e veteranos da vitória sobre o nazi-fascismo, tal como vários activistas das organizações membro da FIR, envolvidos no trabalho presente das suas organizações. Na mesa da sessão esteve presente David Pereira, membro do Conselho Directivo da URAP e do Comité Executivo da FIR, acompanhando o secretário-geral e o novo presidente da FIR. A homenagem foi iniciada com um momento musical, a que se seguiu a homenagem aos camaradas falecidos no último ano, pontificando nas suas biografias a abnegação aos ideais da liberdade, paz e justiça social na luta comum contra o nazi-fascismo, actuando na resistência civil e dos partisans dos seus países, ou nas fileiras militares do Exército Vermelho, e após 1945, activamente nas suas estruturas de resistência e veteranos de guerra e na Direcção da FIR. Entre eles foi recordado António Dias Lourenço, falecido em 2010, e que também se envolveu na longa resistência do povo português ao fascismo, somando 17 anos de prisão (1949-1954; 1962-1974) e uma das mais espectaculares e audaciosas fugas dos cárceres fascistas, no dia 17 de Dezembro de 1954 da Fortaleza de Peniche. Fez-se na sequência um sentido minuto de silêncio.

Em seguida foram expostas numa projecção, imagens ilustrativas dos 60 anos da actividade da FIR, desde o seu I Congresso em Viena em 1951 até ao seu último Congresso ordinário realizado em Berlim em 2010 e onde se destacaram iniciativas diversas que mantiveram intacto o ideal de luta por um mundo livre de fascismo e por uma vida melhor para os povos do mundo, e que soma já 60 anos de realizações.

Após novo apontamento 100_3375s.jpgmusical, foi a vez de serem chamados por David Pereira à tribuna os homenageados com as medalhas da FIR. Ali foram agraciados pessoalmente ou seu nome pelas organizações que integravam vários combatentes pela liberdade e justiça social dos povos e que ainda hoje estão envolvidos no trabalho e na transmissão da memória da resistência ao nazi-fascismo na Europa. Entre eles foi agraciado Aurélio Santos, ex-coordenador do Conselho Directivo da URAP e membro do seu Conselho Nacional (ver notícia). A coordenadora do Conselho Directivo da URAP, Marília Villaverde Cabral, recebeu a medalha em seu nome.


Depois deste momento, foi a vez do novo presidente do Comité Executivo da FIR, Vilmos Hanti, intervir sobre o seu trabalho no futuro próximo, destacando a necessidade da FIR continuar o seu trabalho de viva presença do legado da libertação dos povos da subjugação do nazi-fascismo nos dias de hoje, num tempo que sofre cada vez mais ameaças mais ou menos dissimuladas que colocam em causa os pilares fundamentais da liberdade, democracia e progresso social e da necessidade de actuar nesse contexto.

100_3406s.jpgApós o encerramento deste acto comemorativo, os presentes dirigiram-se ao Cemitério Central de Viena para aí homenagearem as vítimas da ocupação nazi na Áustria e depositarem uma coroa de flores junto do obelisco que assinala também a resistência dos que não claudicaram perante a desumanidade do nazismo na Áustria.



100_3555s.jpgO programa oficial da FIR terminou no dia 3 de Julho, quando os presentes se deslocaram ao antigo Campo de Concentração de Mauthausen, na Áustria, para aí realizarem outra sentida homenagem junto do monumento à resistência e às vítimas austríacas da ocupação nazi, tal como homenagens junto aos monumentos que imortalizam a tenacidade dos presos do campo das mais diversas nacionalidades europeias.



100_3568s.jpgA delegação da URAP regressou a Portugal convicta de que o trabalho da FIR poderá e deverá sair reforçado após este Congresso, e que a intervenção da URAP no plano internacional e junto da FIR continuará a merecer importância na concretização do plano de intervenção delineado desde a última Assembleia-Geral da nossa organização.