Aurélio Santos agraciado com medalha evocativa dos 60 anos da FIR

aurelio-santos.jpgO ex-coordenador do Conselho Directivo da URAP e membro do seu Conselho Nacional, Aurélio Santos, foi agraciado com a medalha da FIR por ocasião do 60.º aniversário da Federação Internacional de Resistentes - Associação Antifascista (FIR) numa cerimónia decorrida no dia 2 de Julho em Viena na Áustria. 

 

 

 

 

100_3375s.jpg

Após o Congresso Extraordinário da FIR realizado no dia anterior (ver notícia), a coordenadora do Conselho Directivo da URAP, Marília Villaverde Cabral, recebeu das mãos do secretário-geral da FIR, Ulrich Schneider, essa distinção atribuída a Aurélio Santos e patente no correspondente diploma que enaltece as valorosas acções na luta antifascista portuguesa onde se envolveu desde a sua juventude, mas também o enorme contributo dado na construção do Portugal democrático após a Revolução de 25 de Abril de 1974.

Como membro e dirigente do Movimento de Unidade Democrática Juvenil (1951-1957), Aurélio Santos participou no IV Congresso Mundial da Juventude e dos Estudantes em Bucareste, Roménia, em 1953, sendo preso após o seu regresso a Portugal (1953-1955). Durante mais de 12 anos, Aurélio Santos foi a voz inconfundível que chegou clandestinamente a Portugal através da frequência da Rádio Portugal Livre (1962-1974). Membro e dirigente do Partido Comunista Português durante mais de quatro décadas, Aurélio Santos assumiu nas mais diversas frentes de trabalho e intervenção uma acção plena de coragem, optimismo, criatividade, confiança e riqueza e que após a Revolução de Abril continuou em pleno. Mais recentemente, desempenhou as funções de coordenador do Conselho Directivo da URAP (2007-2011), sendo actualmente membro do seu Conselho Nacional.

Foi também este reconhecimento pelo seu trabalho e contributo para o movimento da resistência antifascista em Portugal que a medalha atribuída pela FIR veio seguramente consagrar, antes e depois do 25 de Abril, num trabalho que continua actualmente. A sua experiência continua a ser válida para a acção e intervenção da URAP nos dias de hoje, num trabalho onde a sua participação é muito importante. Também enquanto coordenador do Conselho Directivo, Aurélio Santos participou no reforço do estreitar das relações da URAP no plano internacional, em que o contacto com a FIR se destacou.