Sobre a atribuição do doutoramento honoris causa a Adriano Moreira pela Universidade do Mindelo

Ofensa aos antifascistas

A URAP endereçou uma missiva à Fundação Amílcar Cabral sobre a atribuição a Adriano Moreira, pela Universidade do Mindelo, ao grau de dotouramento honoris causa. Para a União de Resistentes Antifascistas Portugueses, trata-se de uma ofensa à memória dos combatentes que foram enviados para o Campo de Concentração do Tarrafal. A URAP lembra que Adriano Moreira foi o ministro que, em 1961, decidiu reabrir o campo para aí encerrar prisioneiros africanos.

Ver carta de Maria Amélia Nápoles Guerra

portaria_adriano_moreira.jpeg