Sala cheia em Peniche para apresentação do livro 12 Fugas das prisões de Salazar

12fugas-peniche3.jpgA URAP promoveu no dia 28 de Janeiro, em parceria com a Editorial "Avante!" e a Câmara Municipal de Peniche, a apresentação do livro "12 Fugas das Prisões de Salazar" da autoria de Jaime Serra.

A sessão realizou-se na capela do Forte de Peniche com a presença do autor, da coordenadora da URAP, Marília Villaverde Cabral, um representante da editora, Rui Mota, e o presidente da Câmara Municipal de Peniche, António José Correia.

12_fugas-peniche1.jpgDepois da apresentação do livro por Rui Mota, Marília Villaverde Cabral pronunciou uma intervenção, na qual destacou o local onde a sessão se realizou, o Forte de Peniche, por ser um local histórico para  sempre ligado à luta antifascista e em que o próprio autor da obra viveu algumas das suas prisões.


capela_12fugas-peniche.jpgSeguiu-se o discurso de António José Correia, que saudou em nome da autarquia Jaime Serra e todos os presentes, manifestando a satisfação pela continuação do protocolo que a Câmara mantém com a URAP e lembrando também o apoio do povo de Peniche aos familiares dos presos políticos.






jaime_serra_12fugas-peniche.jpgJaime Serra, antigo preso político e ele próprio protagonista de 4 fugas das prisões do regime fascista, foi o último dos oradores e as suas palavras emocionaram as mais de 120 pessoas presentes que lotavam a sala.





 

aurelio_santos_e_laura_serra_12fugas-peniche.jpgRegistaram-se diversas intervenções do público, com algumas referências a experiências vividas durante o fascismo em Peniche. Um dos participantes apelou para que a autarquia local fizesse um memorial aos resistentes antifascistas e de homenagem ao apoio do povo de Peniche. O Presidente da Câmara prometeu dar seguimento a esta ideia.


coro_12fugas-peniche.jpgDurante a sessão foram também lidos alguns poemas e elementos do Coro Lopes Graça entoaram "A Jornada", acompanhados por todos os participantes.
Seguiu-se uma sessão de autógrafos por Jaime Serra, havendo a registar que os livros se esgotaram sem que todos os interessados o conseguissem comprar. 

A URAP realizou assim mais uma sessão destinada a não deixar esquecer a resistência ao fascismo e a mobilizar para as batalhas visando a defesa da democracia e da Constituição da República.