URAP participa com alunos da Escola Secundária Alfredo dos Reis Silveira na iniciativa DN escolas

Os jovens portugueses: ouvir a sua voz é fundamental para o futuro do País

dnescolas_es_ars_2.jpgNo dia 13 de Março, David Pereira, membro do Conselho Directivo da União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP), foi o convidado dos alunos da Escola Secundária Alfredo dos Reis Silveira no Seixal que foram seleccionados para conduzirem a entrevista a um convidado à sua escolha segundo o regulamento do concurso Diário de Notícias Escolas, em que participam sessenta escolas do País. Perante uma plateia de cerca de 70 alunos da Escola, assim como um representante da Junta de Freguesia da Arrentela e de um representante da Câmara Municipal do Seixal, os alunos foram coordenados pela professora Ana Paula Gonçalves e pelo professor Luís Parrado neste projecto.

dnescolas_es_ars_1.jpgA entrevista incidiu sobre a temática geral do contributo dos jovens portugueses para o futuro de Portugal. Para além disso, David Pereira procurou relacionar a actualidade que diz respeito à juventude nas suas vertentes da escolaridade no Ensino Básico, Secundário e Superior, tal como no trabalho e nos seus direitos. Para além disso, os entrevistadores procuraram conhecer a experiência pessoal do entrevistado para o levar a fazer as opções e as escolhas que o conduziram à intervenção numa associação como a URAP. Referindo a situação lastimosa dos jovens portugueses perante os ataques aos seus direitos devido às políticas de sucessivos governos, sobretudo tendo como horizonte o artigo 70.º da Constituição da República Portuguesa, David Pereira traçou a transformação que significou a Revolução de 25 de Abril de 1974 e o processo que se lhe seguiu também para os jovens portugueses, tal como o seu papel destacado na longa resistência antifascista que foi movida ao regime fascista entre 1926 e 1974.

Os alunos direccionaram as questões para conhecer melhor as perspectivas do convidado para as suas posições perante o que se perspectiva para o futuro imediato da juventude: David Pereira procurou traçar uma relação directa entre o associativismo juvenil e a defesa dos direitos da juventude, dando até o exemplo da URAP como associação que unia a memória da resistência heroica do povo português à ditadura fascista e a luta actual que as novas gerações necessitavam de prosseguir na defesa dos direitos democráticos, num amplo âmbito dos direitos políticos, económicos, sociais e culturais que estavam sob alvo de políticas prosseguidas ao invés da concretização de uma vida digna e com perspectivas de concretização das mais legítimas aspirações das camadas etárias juvenis em Portugal.

O membro do Conselho Directivo da URAP encerrou a sua reflexão lembrando como os direitos se conquistavam e se podiam igualmente perder, não sendo portanto eternos e exigindo a sua defesa constante promovida pela juventude. A Direcção da Escola e um dos pais dos alunos intervieram igualmente convergindo na ideia de que cabia aos jovens a sua acção e intervenção pública no sentido de preservarem a maior riqueza do povo português: o regime democrático de Abril.