A URAP agora com núcleo Marinha Grande

mg 1O núcleo da URAP da Marinha Grande realizou a sua primeira iniciativa pública, dia 20 de Abril, no Jardim Luís de Camões, no centro histórico da cidade, com a apresentação de um manifesto ao povo intitulado “Abril de novo, com a força do Povo”.
O manifesto, subscrito também pela ASURPI, Clube dos Músicos da Marinha Grande, CURPI, MDM, PCP, STAL e STIV, foi largamente aplaudido pelas cerca de 150 pessoas presentes, e realça os valores de Abril e toda a sua importância para um Portugal livre da longa noite fascista e ditatorial, ao mesmo tempo que apela à sua defesa nestes tempos conturbados.


 "Há precisamente 39 anos Portugal acordava de uma longa e obscura noite, fascista e ditatorial. O pesadelo de 48 anos de repressão, submissão, miséria social e tirania, deu lugar ao sonho emancipador de democracia plena, igualdade e liberdade. Justiça e autonomia!", lê-se no manifesto.
"(...) esse sonho permanece nos anseios das mulheres e homens deste país, deste povo. Mas a politica dos sucessivos governos foi mitigando o sonho, a troika nacional (PS, PSD e CDS) foi cortando nos direitos de Abril, que com sangue e lágrimas, o povo justamente conquistou", acrescenta.
"A urgência de lutar pelos direitos de um povo é uma necessidade. Para que os jovens, os trabalhadores, os pensionistas e idosos, todos, tenham uma vida condigna. Para que a fome e a pobreza não sejam uma verdade incontestável. Para que desemprego não seja aceite como normal. Para que a Constituição da República Portuguesa seja cumprida e respeitada", diz ainda o manifesto que apela à participação na jornada do 20 de Abril .


mg 5No jardim foi montada uma exposição da URAP alusiva ao tema e dirigiu-se  aos presentes a coordenadora da URAP, Marília Villaverde Cabral, entre outros.

A URAP tem desempenhado uma função relevante ao não deixar apagar da memória colectiva os homens e mulheres que resistiram ao regime ditatorial que dilacerou o país. E tem ainda um papel de enorme utilidade ao explicar às novas gerações o que foi o fascismo, uma informação que devia constar nos manuais escolares, quase omissos nessa matéria, e ser feita também pelos educadores.



mg 10O concerto “Abril de novo, com a força do Povo”, foi outro dos pontos de interesse da tarde, com música de intervenção, em que participaram diversos artistas que se associaram ao Núcleo da Marinha Grande da URAP. O “Hino de Caxias” foi um dos momentos altos, cantado por resistentes antifascistas e gente mais nova, bem como a canção emblemática “Grândola Vila Morena”, que encerrou o evento.

 

 

 

 

 

 

mg 2O Núcleo da URAP da Marinha Grande agradece o apoio recebido da ASURPI, do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Vidreira e da Junta de Freguesia da Marinha Grande na realização desta iniciativa.

 

Ver o Manifesto.