Abril vivo em Setúbal

visita Peniche setubalA delegação da URAP de Setúbal comemorou o 25 de Abril de 2013, entre os dias 03 de Abril e 18 de Maio, promovendo palestras nas escolas, sessões de cinema, debates, duas visitas ao Forte de Peniche e uma concentração junto ao Monumento aos Resistentes no Dia da Liberdade, somando a participação de quase duas mil pessoas.



Álvaro Cunhal, grande antifascista e obreiro do 25 de Abril, não foi esquecido nesta data, e a URAP de Setúbal participou na inauguração de uma placa evocativa do centenário do seu nascimento, erguida no "Bosque do Centenário", em Vale do Cobro, bem como encerrará as comemorações, dia 18 de Maio, com uma visita à exposição do centenário do seu nascimento, no Pátio da Galé, em Lisboa.

sessao escola setubalA fim de explicar aos mais novos o que foi o fascismo e o significado do 25 de Abril, houve sessões nas escolas dos Pinheirinhos, Bento de Jesus Caraça, Faralhão, Areias, Fonte do Lavra, Aranguez, José Afonso e Monte Belo.
As sessões nas escolas, algumas das quais em várias turmas, foram muito participadas por alunos e professores e tiveram como oradores membros da URAP como Abílio, Américo Leal, Conceição Matos, Domingos Abrantes, J. Artur, J. Lobo, Joaquim Costa, Pedro Soares e Ralfo. Alguns professores intervieram também, como é o caso da professora Clara Tomás da escola de Monte Belo e outra professora da escola José Afonso (Seixal), onde falou também Henrique Laurentino da Associação de Estudantes.

Foram vários os filmes escolhidos nestas comemoraçõe cujas exibições foram sempre acompanhadas por pequenas palestras no Cinema Charlot.

No dia 24 de Abril, a URAP convidou um militar de Abril para uma sessão pública na Junta de Freguesia de Vendas de Azeitão, e na manhã de 25 esteve presente no hastear da bandeira, na cerimónia da Câmara Municipal e na concentração junto ao Monumento dos Resistentes, colocando flores e tendo como orador o ex-preso político Pedro Soares (ver intervenção).

visita Peniche setubal 2A 2 e 3 de Maio, a URAP acompanhou as visitas guiadas ao Forte de Peniche, onde os alunos e professores conheceram a difícil e inumana vida a que eram sujeitos os presos políticos durante a ditadura fascista.