Portugal inteiro festejou o 40º aniversário do 25 Abril

desfile25A lisboa 2014 3Ruas, avenidas e praças completamente cheias de jovens, velhos e crianças que ora empunhavam cravos, ora carregavam faixas ou dísticos saudando o 25 de Abril de 2014 ou atacando os governantes que nos desgovernam invadiram Lisboa, Porto e muitas outras cidades.

Entre os vários milhar e milhar de pessoas estavam membros da URAP, cuja organização integrou as comissões promotoras, que vieram comemorar os 40 anos da Revolução dos Cravos e apelar à luta por um Portugal em que não se destruam as conquistas de Abril.

Ao som de "Grândola, Vila Morena", "O povo unido jamais será vencido" e outras canções e slogans desfilaram entre a Avenida da Liberdade e o Rossio, entre a Rua do Heroísmo e a Avenida dos Aliados e em muitos outos locais.

desfile25A lisboa 2014 5Há mais de um mês que a URAP festeja este aniversário, iniciado em Lisboa no Auditório Camões, dia 15 de Março, com uma festa-sessão, a que se seguiram debates nas escolas, sessões de toda a espécie, debates em colectividades, exibição da exposição elaborada para o efeito.

Ao forte de Peniche deslocaram-se várias escolas, sendo os jovens sempre acompanhados por professores e por membros da URAP, muitos deles ex-presos políticos.

No Porto, antes do desfile realizou-se, junto às antigas instalações da PIDE (actual Museu Militar), uma homenagem aos resistentes antifascistas, numa cerimónia que culminou com a colocação de uma coroa de flores junto ao edifício, ao som da canção "Grândola, Vila Morena".

desfile25A lisboa 2014 8Dia 27 de Abril, a Câmara Municipal de Peniche convidou a URAP para estar presente no descerramento de uma placa em homenagem à libertação dos presos do forte ocorrida há 40 anos. José Pedro Soares, da direcção da URAP, foi um deles.
´Os presos quando saíam tinham a família à espera do outro lado do portão, eu quando saí tive todo um povo a aplaudir a libertação dos presos´. A revolução tinha triunfado.
Em Peniche foi lançado o livro "No Limite da Dor", uma compilação dos programas radiofónicos da Antena 1 com testemunhos de vários ex-presos políticos que foram torturados pela PIDE e submetidos a todo o tipo de torturas, iniciado a 04 de Janeiro último, da autoria da jornalista Ana Aranha.
Antes disso, Domingos Abrantes fez uma visita guiada ao forte e contou especialmente a fuga de António Dias Lourenço, que se atirou ao mar.

desfile25A lisboa 2014 2Mas as comemorações dos 40 anos de Abril vão continuar todo este ano de 2014 e a URAP vai transformar a festividades em apelos à luta. O ideais da Revolução dos Cravos devem-se cumprimir!