Na morte de Maria Eugénia Cunhal

Maria Eugenia CunhalMaria Eugénia Cunhal morreu hoje aos 88 anos. Lutou durante o fascismo contra a ditadura e por um Portugal democrático após a revolução de Abril.


A mais nova dos quatro filhos da família Cunhal, 14 anos mais nova que seu irmão Álvaro Cunhal, Eugénia Cunhal era professora de Inglês, tradutora e escritora, tendo publicado O Silêncio do Vidro, livro de poemas da juventude, História de Um Condenado à Morte, As Mãos e o Gesto, Relva Verde Para Cláudio e Escrita de Esferográfica.Como tradutora fez, entre muitos outros, a primeira tradução portuguesa dos contos de Tchekov.


Membro do Partido Comunista Português, para além da sua trajectória própria, Eugénia Cunhal esteve sempre ao lado de Álvaro Cunhal - único irmão dado que os outros dois morreram cedo -, dando-lhe todo o apoio possível, na clandestinidade e na prisão, onde o visitava quando a deixavam, chegando mesmo a ser detida para interrogatórios, quando Cunhal estava na clandestinidade e era procurado pela PIDE.
A URAP endereça à família de Eugénia Cunhal as sentidas condolências.