URAP evoca dos 80 anos do início da Guerra Civil de Espanha no Barreiro

guerra civil espanha barreiro 2017 s3 1O Espaço Memória, no Barreiro, foi palco de uma cerimónia sobre os 80 anos da Guerra Civil de Espanha, no âmbito do protocolo de colaboração estabelecido entre a URAP e a Câmara Municipal do Barreiro, na qual foi evocado este conflito, que causou cerca de meio milhão de mortos, considerado um ensaio geral para uma calamidade ainda maior: a II Guerra Mundial de 1939-45.


A sessão, que decorreu dia 1 de Abril com casa cheia, foi aberta pela coordenadora da URAP, Marília Villaverde Cabral, e teve como orador principal o dirigente do Partido Comunista Português e membro do Conselho de Estado Domingos Abrantes, que fez um relato histórico sobre o conflito, suas causas e efeitos.


Em Espanha, durante mais de três anos (1936-1939) travaram-se batalhas em todas as regiões entre nacionalistas e milícias populares republicanas, constituídas por espanhóis e revolucionários, voluntários das Brigadas Internacionais (combateram em Espanha mais de 40 mil brigadistas, entre os quais portugueses), que fizeram com que o conflito assumisse um carácter ideológico e revolucionário, até à queda de Madrid em 01 d e Abril de 1939.
Cerca de 500 mil espanhóis e 10 mil voluntários brigadistas perderam a vida na guerra..

 

 

guerra civil espanha barreiro s2Na sessão, foram ditos poemas por Domingos Lobo e Manuel Diogo, enquanto Débora Maria Santos leu a intervenção feita por Dolores Ibarruri (a Passionária) na despedida das Brigadas Internacionais.

Em representação da Câmara Municipal do Barreiro esteve Regina Janeiro, vereadora da cultura.


Esta é a segunda sessão organizada pela URAP para evocar os 80 anos do início da Guerra Civil de Espanha, onde participaram muitos brigadistas portugueses. A primeira decorreu em Lisboa, a 10 de Dezembro passado, e estão previstas outras durante o ano presente.