Centenário da Revolução de Outubro comemorado pela URAP em Lisboa

centenario revolucao outubro casa do alentejo s2O Centenário da Revolução de Outubro foi comemorado pela URAP com uma sessão pública subordinada ao tema "A Revolução de Outubro e as suas repercussões em Portugal", que decorreu na Casa do Alentejo, em Lisboa, dia 30 de Novembro, com a participação de meia centena de pessoas.


José Manuel Vargas, do Conselho Directivo da URAP, dirigiu a sessão, que foi acompanhada com a projecção de 50 diapositivos, sendo evidenciados alguns aspectos do imenso impacto que a Revolução de 1917 teve em Portugal e do modo como as transformações revolucionárias e as conquistas sociais impulsionaram e estimularam a luta e a resistência antifascistas.


centenario revolucao outubro casa do alentejo s5Os primeiros ecos da Revolução Russa chegaram através de notícias na imprensa anarquista e operária, suscitando desde logo grande simpatia pelas forças revolucionárias e pelas conquistas sociais alcançadas.


Foram diversos os exemplos dessa influência, tais como a reivindicação da utilização imediata dos terrenos incultos em benefício comum, num comício da União Operária Nacional, em 9 de Dezembro de 1917; a ocupação de terras em Vale de Santiago (Odemira), durante a Greve Geral de 1918, dando vivas aos camaradas da Rússia; a limitação a 8 horas da jornada de trabalho no comércio e na indústria, em 7 de Maio de 1919.


Com os objectivos de defender a Revolução de Outubro e de popularizar as suas experiências, constituiu-se, em 1919, o Soviete de Propaganda Social e formaram-se "círculos bolcheviques" que se agruparam na Federação Maximalista Portuguesa, publicando a partir de Outubro de 1919 o semanário "Bandeira Vermelha". Os maximalistas, assim denominados por reivindicarem o máximo da revolução social, eram sobretudo anarquistas e sindicalistas revolucionários com simpatia pela revolução bolchevique.


rev out aAs lutas operárias nesse período fizeram surgir entre os maximalistas a consciência de que uma transformação social radical não poderia ser conseguida sem a existência de uma direcção política extra-sindical. Assim, em 6 de Março de 1921, um grupo de militantes oriundos da Federação Maximalista constituiu o Partido Comunista Português que viria a efectuar o 1º Congresso em Novembro de 1923 e o 2º em Maio de 1926. Enquanto decorria o 2º Congresso deu-se o golpe militar de 28 de Maio de 1926 que instaurou a ditadura e desencadeou uma vaga repressiva contra os comunistas e as organizações e militantes democráticos e sindicais.


Nas condições de clandestinidade impostas pela ditadura fascista, o PCP sob a direcção de Bento Gonçalves, em 1929, soube reorganizar-se tornar-se um partido revolucionário capaz de desenvolver a luta e alargar a sua organização e influência. Na sequência da reorganização de 1929, foram criadas a Liga dos Amigos da URSS, a Secção Portuguesa do Socorro Vermelho Internacional e a Liga Contra a Guerra e o Fascismo.


centenario revolucao outubro casa do alentejo s1Nos anos 30 e 40, a revolução soviética continuou a ser um factor de inspiração para a luta antifascista e a simpatia pela URSS cresceu extraordinariamente durante a II Guerra Mundial. A vitória sobre o nazi-fascismo foi festejada com grandes manifestações de júbilo, em 8 de Maio de 1945, com a singularidade de os manifestantes, estando impedidos de arvorarem as bandeiras da URSS, erguerem apenas e simbolicamente os paus das bandeiras.


No final dos anos 50 e início dos anos 60, os êxitos espectaculares da URSS na conquista do espaço e noutros campos da ciência e da técnica vieram comprovar a toda a gente que a Rússia se tornara uma grande potência com um elevado nível de progresso cultural e científico. Como reflexo do interesse pela URSS está a edição clandestina do boletim "Portugal-URSS" que, de 1954 a 1961, divulgou as realizações e sucessos do povo soviético. Também, neste período, as emissões da Rádio Moscovo eram ouvidas por todo o país, com larga audiência, ao ponto de o governo salazarista ser obrigado a criar uma programa radiofónico de contra-propaganda "Rádio Moscovo não fala verdade".


rev out bA censura sobre livros, revistas, filmes e outras formas de divulgação da realidade soviética não logrou impedir que se mantivesse e alastrasse a enorme simpatia popular pela URSS.


Com a Revolução de 25 de Abril de 1974, foi possível restabelecer as relações diplomáticas com a URSS e desenvolver as trocas comerciais e intercâmbio cultural. Constituiu-se a Associação de Amizade Portugal-URSS que desenvolveu uma intensa actividade de cooperação. Centenas de jovens, filhos de trabalhadores, têm então oportunidade de tirar cursos superiores na União Soviética.


rev out cHoje, passadas mais de duas décadas sobre o desaparecimento da URSS, é por demais evidente que as grandes realizações e conquistas do povo soviético tiveram uma influência decisiva no desenvolvimento mundial e reflexos de enorme alcance no nosso país e que o capitalismo não é solução para os problemas da humanidade. O futuro é do socialismo.