Apresentação do livro "Forte de Peniche Memória, Resistência e Luta" em Almada

lancamento livro peniche almada s1Vítor Dias, um dos organizadores de "Forte de Peniche, Memória, Resistência e Luta", apresentou em Almada a terceira edição do livro, salientando que esta edição, ampliada e actualizada "coincidiu temporariamente com a passagem de um ano sobre o grande e comovente convívio realizado em Peniche, em 28 de Outubro de 2016, e que deu um grande impulso ao movimento de repúdio - entretanto vitorioso - da possibilidade de entrega da Fortaleza a privados para fins hoteleiros".

 

A sessão, promovida pela URAP e a ACCA (Associação Concelhia das Colectividades do Concelho de Almada), decorreu dia 22 de Junho no Átrio do Cineteatro da Academia Almadense, com a presença de dezenas de pessoas.

 

 

lancamento livro peniche almada s2A mesa era composta por Mário Araújo, que coordenou a sessão, Vítor Dias, organizador da edição do livro, e Adelino Pereira da Silva, todos ex-presos políticos, e ainda Ricardo Louçã, presidente da União de Juntas de Freguesia de Almada, Cacilhas, Cova da Piedade e Pragal.

 

Vítor Dias lembrou o poema "Abandono", de David Mourão-Ferreira (1962), que consta do livro, cantado por Amália Rodrigues, com música de Alain Oulman, que ficou conhecido por "Fado de Peniche", cantado após o 25 de Abril no Restaurante Forno de Cima, no Pragal, Almada, pela magnífica voz de Luísa Basto, que levava àquele local um número significativo de democratas.

 

A sessão abriu com um momento de música e poesia, com Francisco Naia e o músico José Carita. Em seguida, declamaram poemas Ana Neto e o actor Francisco Gonçalves.

 

O livro "Forte de Peniche, Memória, Resistência e Luta" foi editado pela URAP e nele consta a lista dos 2 498 presos que passaram pela cadeia de Peniche.