FIR preocupada com a projectada demolição de 75 monumentos na Polónia em honra dos libertadores soviéticos

artigo da FIR - Fédération Internationale des Résistants 

soviet monument polandHá alguns dias, o "Instituto Nacional da Memória " polaco preparou uma listade 75 monumentos soviéticos cuja demolição é recomendada. A razão para esta profanação da memória é que esses monumentos não estão localizados em cemitérios.

 

O raciocínio oficial diz: "O lado polaco considera que a interpretação do acordo diz apenas respeito à protecção bilateral de cemitérios e locais de sepultura. De acordo com esta interpretação, monumentos simbólicos, nomeadamente os monumentos de gratidão ao Exército Vermelho, que não fazem parte dos cemitérios e memoriais militares, não estão no âmbito da aplicação do Tratado (para a protecção dos monumentos)".

 

A FIR considera que esta acção das instituições estatais polacas contra os monumentos de guerra soviéticos é ilegal e historicamente imoral. Nega o facto de mais de meio milhão de soldados e oficiais do Exérito Vermelho terem dado as suas vidas para libertar a Polónia.

 

Numa carta conjunta da FIR e do Comité de Veteranos da Rússia de Maio de 2018 dirigida às associações de veteranos polacos e ao público polaco, é lembrado que: "Os soldados soviéticos não vieram para a Polónia por iniciativa própria. O seu avanço foi acordado durante a guerra com o governo polaco, que se encontrava em Londres. Quando os soldados soviéticos fizeram a libertação, fizeram-na também pelo povo polaco".

 

Daí o pedido: "Não devemos lutar contra os monumentos aos soldados soviéticos, os libertadores, mas pelo nosso futuro comum como uma forma democrática civilizada de memória".

 

Nesse sentido, a FIR também saúda a proposta do Conselho da Federação Russa de reconhecer a vitória sobre o nacional-socialismo como Patrimóinio Mundial da Humanidade. Isto também protegeria os monumentos aos lutadores contra o nacional-socialismo em todos os países do mundo como monumento internacional da Segunda Guerra Mundial.

 

6 de Julho de 2018