Encontro da Paz realiza-se a 5 de Junho de 2021 em Setúbal

Encontro Pela Paz conferencia de imprensa6 sA URAP – uma das onze entidades que aderiram ao Encontro Pela Paz que decorrerá a 5 de Junho de 2021 – esteve presente, dia 29 de Maio, na conferência de imprensa de apresentação do evento, uma iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Setúbal e do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC).


Coube à presidente do CPPC, Ilda Figueiredo, anunciar a data e o local do encontro, o Fórum Municipal Luísa Todi, em Setúbal, e os objectivos principais deste, nomeadamente, a promoção da mobilização e intervenção em defesa da paz e a rejeição do militarismo, da corrida aos armamentos e da guerra.

 

A presidente da autarquia, Maria da Luz Meira, afirmou que "setenta e cinco anos depois de encerrada a mais mortífera guerra contemporânea é imperioso o trabalho contínuo e diário para manter a paz no quotidiano e para a levar onde ela escasseia", acrescentando que "a paz constrói-se primordialmente antes das guerras, constrói-se por antecipação nas cidades com oferta cultural e desportiva de qualidade, com urbanismo sustentável e com regras de segurança que se façam respeitar com proporcionalidade".

 

O presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, em representação do Movimento dos Municípios Pela Paz, louvou o Serviço Nacional de Saúde, que apontou como uma grande conquista de Abril, e sublinhou que "os municípios portugueses estão a demonstrar, nesta batalha contra a Covid-19, que têm sido, ao longo de 46 anos, as principais forças de paz, de defesa e de valorização da vida humana nos seus territórios e também fora deles".


Para a directora da Obra Católica Portuguesa das Migrações, Eugénia Quaresma, "os imigrantes e os refugiados são os primeiros a denunciar o que significa a falta de paz em vários países.

 

A URAP estava representada por Francisco Canelas, da direcção, e aderiram a este encontro igualmente os municípios de Setúbal e de Loures, a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional, a Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto, a Federação Nacional de Professores, a Juventude Operária Católica, o Movimento Democrático de Mulheres, o Movimento Municípios pela Paz, o Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente e a Obra Católica Portuguesa de Migrações.