URAP e DGPC assinam protocolo de cooperação no Museu de Peniche

assinatura protocolo URAP DGPC 2020 1sA URAP e a Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) assinaram, dia 17 de Julho, em Peniche, um protocolo de cooperação que visa o desenvolvimento de um conjunto de acções, nomeadamente partilha de conteúdos, previstas no projecto de criação do Museu Nacional da Resistência e da Liberdade.


Com a presença da Ministra da Cultura, o protocolo foi assinado pelo membro do Conselho Directivo da URAP e ex-preso político José Pedro Soares e pelo director-geral do Património Cultural, Bernardo Alabaça. Na mesma ocasião, a DGPC assinou um documento com os mesmos objectivos com António Capucho, representante do PCP, outra das entidades que integra a Comissão de Instalação dos Conteúdos e da Apresentação Museológica.


José Pedro Soares valorizou, na sua intervenção, o trabalho, a colaboração e a parceria com a DGPC; o Memorial erguido no pátio da fortaleza em honra dos presos políticos; o circuito da solidariedade e resistência; o trabalho da URAP nas escolas; o acompanhamento de grupos de visitantes e outras iniciativas que ali decorreram; sublinhando a importância dos objectos e muitos documentos que os ex-presos deixaram e que agora serão entregues para que possam ser expostos no Museu.


Graça Fonseca, por seu lado, afirmou que "o se quer naquele local não é apenas um museu, mas algo em que as novas gerações possam reviver aquilo que nunca imaginaram que alguém viveu", acrescentando que a participação cívica no museu é uma das formas de "garantir que o fascismo nunca mais voltará a existir em Portugal".


assinatura protocolo URAP DGPC 2020 3sOs signatários comprometeram-se a ceder "gratuita e temporariamente" peças e documentos identificados como relevantes "para completar e enriquecer o [museu], em regime de depósito (ou doação)", bem como a participar em acções de divulgação, incluindo colóquios, conferências, visitas guiadas específicas, acções do Serviço Educativo e na realização "de eventos conjuntos sempre que tal se mostre oportuno, mantendo, para o efeito, permanente comunicação recíproca das respectivas actividades".


Nos termos do protocolo, válido por cinco anos, a DGPC disponibilizará "todas as informações relevantes sobre o Programa Museológico", assegurando que "as peças e documentos cedidos pela URAP deverão constar de lista assinada por representantes de ambas a partes e deverão ter menção à sua origem: "URAP" e "beneficiarão das condições de conservação e exposição exigidas e regulamentadas para o património móvel".

 

 


assinatura protocolo URAP DGPC 2020 2sO Museu Nacional da Resistência e da Liberdade, inaugurado em 2017 na Fortaleza de Peniche e que está a receber ainda obras de requalificação, tem desde Abril de 2019 a exposição "Por Teu Livre Pensamento", uma amostra do que vai ser o futuro museu.


Em Setembro de 2016, a Fortaleza de Peniche foi integrada pelo Governo na lista de monumentos históricos a concessionar a privados, no âmbito do programa Revive, mas passados dois meses foi retirada, pela polémica suscitada junto dos democratas e antifascistas, levando a Assembleia da República a defender a sua requalificação, em alternativa.


A fortaleza, classificada como Monumento Nacional desde 1938, foi uma das prisões do fascismo de onde se evadiu, entre outros, o secretário-geral do PCP Álvaro Cunhal, em 1960, protagonizando um dos episódios mais marcantes do combate ao regime.

 

*fotos:MNRL