Autoridades espanholas detêm activista

Actual > Breves

Declaração do Conselho Mundial da Paz

paz_picassoNo sábado, 26 de Julho, as autoridades espanholas detiveram a activista solidária Remédios Garcia Albert sob a acusação de ser apoiante e representante das FARC, uma organização considerada uma estrutura terrorista pela União Europeia (UE), posição que rejeitamos completamente.

 

O Conselho Mundial da Paz (CMP) condena veementemente este acto enquanto exemplo de "caça às bruxas", sob as chamadas leis anti-terroristas, que consiste num esforço de intimidação do movimento de solidariedade com o povo da Colômbia, que sofre há décadas de um ataque aos seus direitos sociais e políticos, por parte da oligarquia Colombiana e do imperialismo norte-americano.

A detenção de Remédios Garcia Albert constitui-se como um acto de cinismo pois é bem conhecido que as organizações em que trabalha têm defendido de forma consistente uma solução mutuamente negociada do conflito colombiano.

Desde alguns anos que temos testemunhado uma nova fase de criminalização de acções políticas e sociais, por todo o mundo e, em particular, nos EUA e na UE. Simultaneamente, há um grande empenho por parte daqueles que continuam a ceifar vidas com guerras e ocupação, a manipular a verdade e a desorientar a opinião pública internacional no que diz respeito à situação na Colômbia, ou noutros locais.

O CMP acredita que o conflito na Colômbia é antes de mais social e político, entre o povo e os seus movimentos, de um lado, e a oligarquia local e o imperialismo, de outro lado. Nos últimos anos tem-se provado que os EUA querem "converter" a Colômbia "numa Israel" da América Latina, para que possa interferir em toda a região. Foi com esse propósito que os EUA relançaram, 58 anos depois, a sua 4ª Frota na América do Sul.

O CMP exige que as autoridades espanholas levantem todas as acusações sobre Remédios Garcia Albert, que foi liberta temporariamente sob certas condições e que alerta os membros da sua organização para que estejam atentos a futuros ataques semelhantes.

Expressamos a nossa solidariedade com o povo da Colômbia e da América Latina pelo seu direito a determinar o seu próprio futuro sem interferências imperialistas nos seus assuntos domésticos. Pedimos a todos os membros do CMP e amigos que expressem a sua solidariedade com Remédios Garcia.

Atenas, 28 de Julho de 2008

A Presidente
Socorro Gomez

O Secretário-Geral
Thanassis Pafilis