Canções para um aniversário heróico

espectaculo_cnspp_1Espectáculo de Homenagem à Comissão Nacional de Socorro aos Presos Políticos
Por ocasião do seu 40º aniversário
 
Mais de 800 pessoas participaram, no dia 27 de Maio, no Cinema São Jorge, em Lisboa, num espectáculo para assinalar os 40 anos da Comissão Nacional de Socorro aos Presos Políticos (CNSPP). Assim se fez, também, no dia 25 de Maio de 1974, no Coliseu dos Recreios, onde se cantaram pela primeira vez em liberdade as Canções Heróicas, com as quais se homenageavam «todos aqueles que, na prisão ou no exílio, na luta contra os tribunais plenários, contra a censura e contra a propaganda, na luta contra todas as formas de pressão e opressão, resistiram ao regime derrubado pelas Forças Armadas em 25 de Abril de Abril de 1974».

Na ocasião, Levy Baptista, da Comissão Promotora das comemorações dos 40 anos da CNSPP, afirmou que «se é certo que, no nosso País, os presos políticos sempre tiveram a solidariedade, moral e material, de quantos, em liberdade, se sentiam irmanados na mesma luta, não é menos verdade que só com a constituição da CNSPP foi possível sistematizar e organizar eficazmente essa solidariedade, nomeadamente através da designação de advogados de defesa, de apoio financeiro aos familiares e, até, da organização de colónias de férias para filhos de presos políticos».

Anabela Carlos, filha dois antigos presos políticos, recordou algumas memórias das visitas feitas, em Peniche, ao seu pai: «Chegava a Peniche, esperávamos, revistavam malas, sacos, bolsos e lá entrávamos. Lá estava ele, no vidro, os olhos a brilhar. Só uma vez me lembro de me deixarem dar-lhe um abraço e sentar-me ao colo dele. Depois, porque adoeceu, ficou na Prisão Hospital de Caxias, ai ele já brincava comigo, desenhava para mim.»

Este espectáculo, apresentado pela actriz e encenadora Fernanda Lapa e onde actuaram o Coro Juvenil ''Oficina do Canto'', Francisco Fanhais, Luisa Basto, Carlos Alberto Moniz, o pianista Miguel Henriques, Coro Lopes Graça e poesia dita pelos actores Luisa Cruz e Luis Lucas, consistiu também num encontro de muitos que ficaram ligados pelos laços de solidariedade que a luta contra o fascismo teceu.