Tentativa de ataque sangrento contra Sinagoga em Halle (Alemanha)

synagogue in Halle Germany attackartigo da responsabilidade da FIR - Fédération Internationale des Résistants- Newsletter 2019-41


Semelhante aos assassinatos anti-semitas em Christchurch (Nova Zelândia) e Pittsburg (USA) alguns meses atrás, na quarta-feira da semana passada, no pico do feriado judeu "Yom Kippur" em Halle na Alemanha, um militante neo-nazi atacou a sinagoga daí.


Sob o título "Racismo mata!", a Federação dos Perseguidos do Regime Nazi - Associação de Antifascistas (VVN-BdA), a organização alemã membro da FIR, distribuiu a seguinte explicação: «O perpetrador começou na sinagoga no centro de Halle, cuja porta, todavia, aguentou o ataque apresentado com uma submetralhadora. A primeira pessoa foi morta no cemitério judeu. Depois o perpetrador atingiu outra pessoa num stand de kebab.

Duas outras pessoas foram admitidas no hospital universitária com feridas de bala. O assassino – o neo-nazi de 27 anos Stefan Balliet (de acordo com os media) – foi preso. O Gabinete do Procurador Federal assume uma motivação de extrema-direita para o crime. O perpetrador fez um vídeo do seu assalto. Isto é reminiscente do assassinato racista de Christchurch na Nova Zelândia.


Há já algum tempo que temos observado que a cena neo-fascista está cada vez mais armada e preparada para usar a violência. O assassinato de Walter Lubcke, presidente do distrito de Kassel, foi um sinal claro disso. Agora outra vez, neo-Nazis parecem ter provado a sua prontidão para usar a violência.

 

Se o Gabinete do Procurador Federal categoriza tal crime agora como "perigo à solta", ele desvaloriza os perigos que emanam da extrema-direita. A referência ainda para um "perpetrador individual" deve distrair deste perigo.

Tratou-se de uma reconhecida acção planeada, que foi dirigida no maior feriado judeu contra cidadãos judeus do nosso país e num passo seguinte contra todas as pessoas conectadas com "estranhos". Tais assassinatos são planeados e deliberalmente preparados.


Tal como o arguido Sefan Ernst no caso de Lubcke, os órgãos de segurança desta cena neo-nazi violenta parecem ter prestado muita pouca atenção. Possa o ataque ter sido prevenido não está para discussão. A generosidade das autoridades em emitir cartões de posse de arma para a extrema-direita deve ser também examinado neste caso.

A VVN-BdA expressa as suas condolências profundas a todas as vítimas dos ataques e às suas famílias. Para nós é uma consequência central: Nenhuma tolerância para Nazis! Fascismo não é uma opinião, mas um crime! Racismo e anti-semitismo mata! – os ataques em Halle mostra isto com toda a clareza».


A FIR exprime a sua solidariedade à comunidade judaica em Halle e exige das autoridades de segurança uma atitude mais clara contra a cada vez maior violência pronta da extrema-direita – seja contra «perpetradores individuais» ou grupos organizados. Apoia ainda todas as forças antifascistas e anti-racistas na Alemanha na sua luta contra o avanço da extrema-direita.