Colaboradores Letónios como Heróis Nacionais?

pro ss march in latvia 2012artigo da responsabilidade da FIR - Fédération Internationale des Résistants- Newsletter 2019-41

 

[foto: marcha pró-SS em Riga, Letónia, 2012]

«Já várias vezes, a FIR e as suas federações filiadas levantaram a sua voz contra os muitos esforços de reabilitação dos colaboradores fascistas nas repúblicas bálticas. Já 20 anos atrás, protestamos contra a glorificação dos membros da SS na Estónia. Durante vários anos, temos apoiado as acções contra a marcha dos veteranos SS em Riga, a meio de Março, pelo feriado nacional. Um dos poucos pontos correctos da terrível declaração do Parlamento Europeu, de 19 de Setembro de 2019, critica o facto que, "em alguns estados-membros da EU, o revisionismo histórico é praticado e as pessoas que colaboraram com os nacionais socialistas são glorificados".


Como se isso precisasse de confirmação, o Ministério da Defesa letão publicou a 27 de Agosto de 2019 extensiva informação sobre uma cerimónia comemorativa, em memória da batalha de More no início de Outubro de 1944. Nesta batalha, legionários letões lutaram nas fileiras da Wehrmacht contra as forças do Exército Vermelho e impediram o afastamento das forças de ocupação fascistas para fora da Letónia.


No seu discurso de honra, o ministro da defesa letão Artis Pabriks afirmou literalmente: "É o nosso dever honrar estes patriotas da Letónia do fundo das nossas almas... Honremos os legionários caídos e não deixem ninguém desprezar a sua memória! Legionários letões são o orgulho do estado e do povo Letão".


Ele continuou: "Quando estamos em sítios como More, próximos das trincheiras, dos túmulos e dos monumentos dos nossos legionários, estamos todos perdidos na força e na confiança que o nosso país tem um futuro, que estamos no caminho certo e que o nosso país merece um futuro ainda melhor".


Para deixar claro, qual é o propósito desta comemoração, ele prometeu fazer tudo o possível para assegurar a Letónia, "para que o nosso exército esteja altamente motivado, capaz de lutar, bem armado, e para que a nossa sociedade não experiencie isso qualquer dia ou crises futuras".


No final do evento, os participantes deixaram flores na parede do memorial e na placa do comandante da batalha de More, Roland Kovtunenko. Ninguém ficou surpreso de que um nacionalista ucraniano, um apoiante de Bandera, tenha sido honrado ao lado da Wehrmacht fascista. Também não é surpreendente que, no ano passado, fascistas ucranianos com parceiros letões tenham deixado coroas de flores no seu memorial.


No comunicado de imprensa do Ministério da Defesa Letão, ficou explicitamente enfatizado que os legionários letões que lutaram ao lado da Wehrmacht fascista impediram o exército Soviético por duas semanas de irromper pelas linhas de defesa de Sigulda e de libertar Riga. O facto que várias centenas de soldados soviéticos perderam as suas vidas pela libertação da Europa da barbárie fascista através das acções dos colaboradores letões não é mencionado na declaração do Ministério da Defesa.


A FIR está profundamente indignada com esta forma aberta de reescrita revisionista da história da Segunda Guerra Mundial pelo governo Letão.»