Homenagem no Porto a Maria José Ribeiro

A dirigente da URAP Maria José Ribeiro foi homenageada, dia 12 de Janeiro passado, na Casa da Beira Alta, no Porto, por ocasião dos seus 80 anos, pelo contributo que deu durante toda a vida à causa da democracia antes e depois do 25 de Abril.


Militante do Partido Comunista Português desde 1956, fundadora e activista do Movimento Democrático de Mulheres, primeira mulher presidente do Sindicato Nacional de Profissionais de Seguros e autarca, Maria José Ribeiro constitui um exemplo de mulher e cidadã empenhada na luta pelos ideais de liberdade, democracia e socialismo.

 

Na cerimónia, que reuniu cerca de 120 pessoas, usaram da palavra Marília Villaverde Cabral, coordenadora da URAP, Márcia Oliveira, pelo MDM, Ilda Figueiredo, pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, Paulo Mourato, pelo SINAPSA, e Teresa Lopes, pelo PCP.


Maria José Ribeiro proferiu um emocionante discurso no qual agradeceu a homenagem que lhe prestaram e disse "esperar poder acompanhar-vos ainda por mais alguns anos e participar na construção do mundo novo de que não desisto".


Na sessão foram recitados poemas de Eugénio de Andrade, Nazim Hikmet, Manuel Jacinto e Maria Guinot por Carmem Dora, Rui Vaz Pinto e Ilda Marques. Os Verdes Anos, de Carlos Paredes, e outros temas foram tocados pelos guitarristas Manuel João e Gomes da Silva.

 

Nascida em Lisboa em 1936, ano em que o seu pai, Joaquim Ribeiro, foi preso na sequência da Revolta dos Marinheiros e enviado para o campo de concentração do Tarrafal, Maria José Ribeiro passou grandes dificuldades económicas que viriam a condicionar os seus estudos em criança, tendo só mais tarde podido estudar na Escola Comercial.

 

Maria José Ribeiro só viria a conhecer o pai aos 16 anos e a família desloca-se então para o Porto, onde adere ao Partido Comunista Português em 1956, integra a Comissão de Jovens de Apoio à Candidatura de Humberto Delgado em1958, ano em que foi presa pela primeira vez pela PIDE. Seria presa mais duas vezes em 1962 e 1964.

 

Após o 25 de Abril foi membro da Assembleia Municipal de Matosinhos e é dirigente da União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP).