Na morte de Alexandre Castanheira

alexandre castanheiraAlexandre Castanheira, um dos primeiros sócios da URAP e antigo coordenador do Conselho Directivo, professor e escritor morreu dia 16 de Janeiro em Almada, aos 89 anos.


Resistente antifascista, defensor das causas da liberdade e da paz, foi preso várias vezes. Viveu na clandestinidade e esteve exilado em França. Foi militante do MUD Juvenil (Movimento de Unidade Democrática) e depois do PCP, tendo regressado a Portugal após a Revolução do 25 de Abril.


Alexandre Castanheira foi director da Revista da Federação Sindical Mundial, participando em várias Conferências e Congressos Mundiais, nomeadamente em Praga, Moscovo, Havana, Berlim. Foi igualmente colaborador da secção internacional e de emigração da CGTP.

 

(ver carta de pesar da URAP)

 


Exerceu funções de deputado municipal em Almada e de presidente da Assembleia de Freguesia do Laranjeiro.


Licenciado em Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras de Lisboa e em Literatura Moderna pela Universidade de Paris VIII, foi professor na Escola Superior de Educação Jean Piaget de Almada durante 18 anos.

Formador na área da poesia de crianças e jovens com vista à constituição de um Cancioneiro Infanto-juvenil, intervém com comunicações em diversos Congressos Internacionais promovidos pelo Instituto Piaget (sobre Literatura, Filosofia, Ecologia, Matemática, Direitos Humanos), algumas delas publicadas na obra "Caixa de Ressonância".


Como poeta editou diversos livros e desde sempre se interessou pela divulgação da poesia, fazendo recitais em escolas e colectividades em Almada, por todo o país, assim como na Galiza (Vigo, Baiona, Universidade de Santiago de Compostela) e as conferências-recital dedicadas a Antero de Quental, Guerra Junqueiro, Mário Sá-Carneiro, Manuel da Fonseca, Sidónio Muralha, Fernando Pessoa, entre outros.


Alexandre Castanheira foi agraciado em Abril de 2004, pelo Presidente da República, Jorge Sampaio, com o grau de Comendador da Ordem da Liberdade. A Câmara Municipal de Almada atribuiu-lhe, em 1994, a Medalha de Ouro de Mérito Cultural e deu o nome de Escola Básica Alexandre Castanheira à Escola Básica n.º 2 do Laranjeiro.