Em defesa do reconhecimento da luta antifascista na Bulgária

logo_firA Federação Internacional dos Resistentes (FIR) - Associação Antifascista, dirigiu, no passado 10 de Agosto, uma carta ao Presidente da Bulgária, Georgi Parwanow, reclamando das autoridades búlgaras o reconhecimento da luta antifascista e honra para os seus lutadores. 

 

 

 

A FIR foi indimitroffformada pela sua organização-membro búlgara (União Antifascista Búlgara) que os representantes do parlamento deste país tentam ignorar a existência do fascismo e da resistência antifascista na Bulgária desde 1923.

"Isto é inacreditável por causa da verdade histórica", pode ler-se na carta endereçada. "Ninguém pode ignorar o Setembro de 1923 na Bulgária, a luta continuada dos grupos antifascistas nas décadas seguintes como, por exemplo, o famoso representante Georgii Dimitroff [...] e a luta contra as tropas ocupantes alemãs, em 1943-44. Em vários países, antifascistas búlgaros lutarm nas fileiras do exército aliado, juntamente com partisans nacionais e parte do movimento da resistência.

"Toda a gente sabe que quase 20 000 pessoas, partisans, exilados, deram as suas vidas na luta antifascista pela liberdade da Bulgária. Estes são factos que ninguém pode negar.

A FIR conhece bem a importância da luta antifascista na Bulgária, afirmam os seus dirigentes na carta, e espera que as autoridades búlgaras também o reconheçam.