Resolução aprovada na AG da URAP de 2 de Março de 2013

URAP > Documentos

Resolução aprovada na Assembleia Geral, realizada a 2 de Março de 2013, na Biblioteca-Museu República e Resistência, em Lisboa.

 

Considerando que:

 

  1. A política do actual Governo do PSD/CDS mergulhou o país numa grave crise financeira, económica, política e social;

  2. Que o Governo não só não conseguiu cumprir nenhum dos objectivos a que se propôs como, ao invés, agravou todos os índices macroeconómicos geradores dessa mesma política;

  3. Que as medidas de autoritarismo impostas por este Governo degradaram fortemente a vida dos cidadãos, minaram a sua confiança, deterioraram o Estado Social e estão a pôr em causa as próprias Instituições democráticas, tal como as conhecemos;

  4. Que o Governo tem demonstrado uma inaceitável submissão aos interesses do grande capital financeiro e um visível desprezo pelos interesses nacionais;

  5. Que é o próprio Governo a assumir que com esta política o desemprego estrutural se irá manter nos 14%, o que significaria a existência permanente de mais de 700 mil desempregados no nosso país;

  6. Que a legitimidade do Governo se encontra ferida pelo facto de estar a governar em frontal oposição ao programa com que se propôs ao eleitorado;

  7. Que a crescente oposição a esta política pode gerar situações de ingovernabilidade idênticas às surgidas quer na Grécia quer recentemente na Itália

 

Os membros da União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP) reunidos em Assembleia Geral, situada na Rua Alberto de Sousa, 10 A, à Zona B do Rego em Lisboa, a 02 de Março/2013, deliberam:

 

1 - Protestar veementemente contra esta política;

 

2 - Solicitar ao Sr. Presidente da República e à Assembleia da República a dissolução do Parlamento e a convocação de eleições de forma a devolver a palavra aos cidadãos;

 

3 - Reafirmar a sua firme disposição em lutar por todas os meios ao seu alcance pela defesa da democracia e pelo cumprimento escrupuloso dos valores inscritos na Constituição da República Portuguesa;

 

4 - Enviar esta resolução ao Sr. Presidente da República e à Assembleia da República;

 

5 - Dar conhecimento desta resolução ao Governo, ao Provedor de Justiça à FIR (Federação Internacional de Resistentes) e à Comunicação Social.

 

 

Lisboa, 02 de Março/2013