Plano de Actividades para 2015/2016

Plano de Actividades para 2015/2016


I – ORGANIZAÇÃO


- Intensificar o contacto com os Núcleos, de modo a que consigam diversificar e descentralizar a actividade da URAP.


- Criar núcleos em zonas onde temos sócios.


- Encontrar formas de trazer mais sócios à URAP, quer através de contactos pessoais, quer aproveitando melhor as iniciativas que se realizam.


- Actualizar o ficheiro, de forma a facilitar melhor o contacto com os sócios.


- Melhorar o trabalho de recolha de quotas.


- Encontrar formas novas de financiamento, para o desenvolvimento da actividade da URAP.


- Pôr a funcionar, com regularidade, uma Comissão de Fundos.


2 – ACTIVIDADE


- Nestes 2 anos, o Conselho Directivo, bem como os restantes Órgãos Sociais, devem dar particular atenção ao reforço da organização da URAP, como atrás se referiu, desenvolvendo o trabalho com os Núcleos. Entretanto, há iniciativas que obrigatoriamente e ainda com maior empenho, teremos de realizar:


a) As Comemorações do 25 de Abril – continuar a realizar Sessões nas Escolas, em Colectividades e em outras estruturas populares;

 

b) Dar particular atenção às Comemorações do 25 de Abril da Câmara de Peniche, onde está previsto, para este ano, a apresentação do projecto do Memorial, com os nomes de todos os presos que passaram pelo Forte e cuja investigação, na Torre do Tombo, foi realizada pela URAP;

 

c) As Comemorações dos 70 Anos do fim da Segunda Guerra Mundial – continuar a promover Sessões em Escolas, Colectividades e outras Organizações, aproveitando o êxito obtido com as iniciativas da Tocha da FIR, símbolo da Paz e da Liberdade, bem como os contactos que nos foram proporcionados com professores e alunos;

 

d) Comboio dos 1.000 – Em Maio, a URAP, em conjunto com a FIR, a Organização dos Veteranos da Bélgica e Fundação Auschwitz, organiza, de novo, esta extraordinária iniciativa, levando jovens de vários países da Europa a visitar Auschwirz, o Campo de Concentração onde foram assassinados milhares de democratas e onde se praticaram as mais terríveis torturas.

 

e) Visitas da Resistência :

 

Oradur-sur-Glane – cidade mártir destruída na Segunda Guerra Mundial.


Angra do Heroísmo – homenagear os antifascistas deportados para o Forte de Angra;

 

f) Homenagem aos Tarrafalistas, junto ao seu Mausoléu, no Alto de S. João;

 

g) FIR – Federação Internacional de Resistentes – Reforçar os laços que nos unem, melhorando o intercâmbio de tomadas de posição sobre vários aspectos da situação internacional, cada vez com mais perigos de ressurgimento de fascismo em várias partes do Mundo.


3 – INFORMAÇÃO


- Manter a periodicidade do Boletim e fazer esforços para mais notícias das terras, para que os sócios de várias zonas do País se sintam aí mais representados.


- Actualizar a Página e o Facebook, denunciando, atempadamente a ofensiva contra as liberdades em Portugal e no Mundo.


NOTA FINAL


- O Plano de Actividades que apresentamos, tendo em conta a situação que se vive em Portugal e no Mundo, pode obrigar a alterações, cujo primeiro exemplo já está à vista: a luta que teremos de travar contra a nova tentativa do chamado "Museu do Salazar". A URAP fará, como aconteceu em 2007, todos os esforços para que se cumpra a Constituição da República e para que Santa Comba não se transforme num "santuário" ao fascismo, atraindo fascistas portugueses e estrangeiros.