Relatório de Actividades 2014

Relatório de Actividades 2014


A URAP- União de Resistentes Antifascistas Portugueses, de acordo com o plano de actividades para 2013/2014, aprovado na Assembleia-Geral de 02 de Março/2013, tem vindo a desenvolver as suas acções de acordo com as possibilidades que se nos apresentaram em cada período.

Politicamente os ataques às conquistas democráticas foram muito duros no ano que passou, uma vez que o avanço das forças de direita e do capital não têm parado. No campo da educação os ataques à escola pública, têm sido muito violentos quer com os professores, quer com os programas escolares, que muito se afastam dos princípios do 25 de Abril, assim como no Serviço Nacional de Saúde, que tantos benefícios trouxe ao povo, está a ser estrangulado financeiramente e na capacidade de resposta para facilitar os grandes interesses privados no negócio da saúde.

 

25 de Abril

 

No ano de 2014, a URAP iniciou as suas actividades com uma sessão cultural comemorativa do 40º aniversário do 25 de Abril, subordinado ao tema «25 de Abril, ontem e hoje - evocação, memória e luta». O evento, que teve lugar no dia 15 de Março, marcou assim, o início de um ano de comemorações dos 40 anos do 25 de Abril, em que a URAP, desempenhando um papel muito activo e dinâmico junto das escolas, associações e colectividades, reforçou o papel dos valores de Abril, da paz, da liberdade e da democracia, reafirmando, igualmente a sua luta e o seu papel de denunciar os constantes ataques que o povo português tem vindo a sofrer a todos os níveis, como por exemplo:


- Quando, a 03 de Março, um conjunto de estudantes pintava um mural político, dinamizado pela Associação de Estudantes da Escola Secundária Santa Maria, em Sintra, onde se fazia a defesa da Constituição da República Portuguesa e do ensino público, democrático, gratuito e de qualidade, e a polícia interrompeu a iniciativa. Na sequência deste incidente, três estudantes, membros da Direcção da Associação de Estudantes foram condenados pela direcção da Escola a uma pena disciplinar de suspensão por três dias,
ou,
Presentemente, com este novo atentado à democracia, em que ressurge o projecto de transformar a casa pertencente ao ditador António de Oliveira Salazar, em Santa Comba Dão, num museu em sua honra pelas mãos do presidente da Câmara, Leonel Gouveia, encarando mesmo apresentar uma candidatura a fundos comunitários para o financiar.

 

- A exposição da URAP «25 de Abril, ontem e hoje - evocação, memória e luta», e as sessões/debates em que os núcleos mais activos, juntamente com os Conselhos Directivos de Escolas Secundárias e com o apoio de algumas Freguesias, Câmaras e Associações, decorreram de norte a sul do país e sempre com muita receptividade e participação.


A URAP organizou várias visitas ao Forte de Peniche, com o acompanhamento de vários resistentes que durante anos aí estiveram encarcerados.

 

Núcleos


- Muitas foram as actividades desenvolvidas no decorrer de 2014 pelos núcleos de Almada, Alhandra, Peniche, Porto, Stª. Iria de Azóia, Setúbal, actividades essas relacionadas com as comemorações dos 40 anos do 25 de Abril, com a defesa da Paz, Liberdade e Democracia.


- O tema do "Sistema Público da Segurança Social", não foi esquecido, tendo o Núcleo da URAP de Sta. Iria de Azóia promovido uma sessão/debate, com muita participação da população;


- O Núcleo da URAP do Porto tem trabalhado no sentido a sensibilizar, junto das entidades competentes, a transformação da antiga cadeia da PIDE na Invicta, num edifício classificado como memória da resistência e da luta antifascista. Da mesma forma, tem circulado um abaixo-assinado, em que os subscritores apelam às entidades competentes para que se possa dotar a cidade e o Norte, de um memorial que levante do esquecimento milhares de vítimas do fascismo.


- A vida e obra de Adriano Correia de Oliveira, iniciativa do Clube dos Músicos da Marinha Grande e do Núcleo URAP da Marinha Grande;


- A URAP promoveu uma sessão de aniversário do II Congresso Republicano de Aveiro, com o lema "Resistir no Passado - Resistir no Presente" que contou com a presença de António Regala, que presidiu, o director da Torre do Tombo, Professor Silvestre Lacerda, e os membros do secretariado do Congresso Flávio Sardo, Joaquim Silveira e Jorge Sarabando que apresentaram testemunhos vividos em 69.

 

- Efectuou-se a habitual Homenagem aos Tarrafalistas, com uma Romagem ao Mausoléu dos Resistentes Antifascistas Mortos no Tarrafal, no cemitério Alto de S. João em Lisboa, não sendo esquecido o companheiro José Barata, ex-tarrafalista e membro fundador da URAP, que faleceu, aos 97 anos.


Nesta romagem participaram os vários núcleos da área metropolitana de lisboa, representantes de autarquias, sector sindical, representantes da área política e cultural, para além, de muitos cidadãos anónimos.

A URAP participou, colaborou ou foi convidada em inúmeros colóquios, sessões, debates, homenagens, etc..., nomeadamente:

- Em diversas Universidades Seniores do país;
- No itinerário do MDM sobre conquistas e direitos da mulher no pós 25 de Abril;
- No lançamento do livro " No limite da dor", no Forte de Peniche;
- No lançamento do livro "Catarina Eufémia – Militante Comunista, Mulher de Abril, Companheira de Luta", de José Casanova, cabendo a Mário Araújo a apresentação e que, para além do autor, falaram os resistentes antifascistas António Gervásio e Américo Leal.
-Como júri em concursos alusivos ao 25 de Abril.

 

- O Partido Comunista Português, CPPC, Voz do Operário, Casa do Alentejo, a CGTP, MDM, o Coro Lopes Graça, CPCCRD, Associação dos Praças da Armada, o Clube de Praças, Municípios e Freguesias, foram várias das muitas entidades com quem a URAP teve o privilégio de poder contar.

 

Boletim / Página / Facebook


- Apesar das grandes dificuldade financeiras, a URAP tem feito um enorme esforço no lançamento do seu boletim, tendo realizado um boletim especial quando das comemorações do 25 de Abril.
- A Página e o Facebook da URAP, têm sido meios de divulgação, de bastante sucesso, para as actividades da URAP, permitindo uma maior projecção externa da própria URAP.

 

Actividade Internacional


A URAP tem procurado denunciar o ascenso do nazi-fascismo na Europa, assim como a opressão sofrida por diversos povos. Iniciativas que, apesar de serem de 2015, merecem desde já a nossa maior atenção:


1. - A Tocha da FIR- Federação Internacional de Resistentes, incluída nas comemorações do 70º aniversário do fim da II Guerra Mundial (iniciativa já realizada entre 28 de Janeiro e 12 de Fevereiro de 2015).


2. - A feitura de uma exposição alusiva a essas mesmas comemorações.

 

Atribuição de Galardão


No ano de 2014, a URAP foi reconhecida por ser uma associação que se destacou na luta pela democracia e pelo papel activo na divulgação da mesma junto à população e principalmente junto às escolas, tendo-lhe sido atribuído o galardão "Instrução e Arte", por parte da Confederação Portuguesa das Colectividade de Cultura, Recreio e Desporto.

 

Lisboa, 28 de Março de 2015