Plano de actividades para 2019

Plano de Actividades para o ano de 2019,
aprovado na Assembleia-Geral de 30 de Março de 2019

 

ORGANIZAÇÃO
No que respeita à organização e funcionamento, as nossas prioridades são as seguintes:
Persistir na criação de Núcleos nos vários distritos do país, onde temos sócios e amigos da URAP.
Dinamizar os Núcleos existentes.
Continuar a trazer mais sócios para a URAP.
Informatizar o ficheiro e criar programa para as quotas.
Manter e alargar a concretização de protocolos com Câmaras, outras entidades e organizações.
Pôr a funcionar, de forma adequada, as sedes da URAP (Lisboa e Central) e organizar toda a documentação.


ACTIVIDADE
Estamos a realizar a Assembleia Geral em vésperas do 25 de Abril e, uma das tarefas prioritárias, é a realização de sessões em escolas, bem como a mobilização para a manifestação popular.
Na sequência da luta pelo Museu Nacional da Resistência e da Liberdade, para além das cerimónias institucionais, é de grande importância termos uma forte mobilização popular, para o dia 27 de Abril, em Peniche, data que comemora a libertação dos presos e em que vai ser inaugurado o Memorial por que tanto a URAP se bateu.

No 1º de Maio estaremos na Alameda com um pequeno pavilhão, como ocorreu o ano passado.
No próximo dia 4 de Maio, iremos comemorar o aniversário da URAP.
A realização de sessões em torno dos livros editados "Forte de Peniche, Memória, Resistência e Luta" e "MJT e luta dos Jovens Trabalhadores-Fios da Memória" deve continuar, pois têm sido de uma grande importância para lembrar a História que não é contada nas escolas e, muito raramente mostrada na Comunicação Social.
Em fins de Abril ou princípios de Maio, está projectada a edição do livro sobre as prisões dos Fortes de Angra do Heroísmo, em cooperação com a Câmara Municipal.
O grupo de trabalho, que tem investigado na Torre do Tombo os nomes dos antifascistas presos em Peniche, em Angra do Heroísmo e no Porto, vai continuar o seu importante trabalho. Este ano, tendo em conta que já anunciámos que iríamos realizar uma homenagem às Mulheres que estiveram presas, o levantamento dos nomes de Caxias, é fundamental.
Previsto organizar uma Expo-venda de Artes Plásticas.
Com o Museu do Aljube, projectamos organizar mais sessões, nomeadamente, sobre o papel dos Cine Clubes na Resistência e das Cooperativas Culturais.
À semelhança de anos anteriores, programamos uma visita guiada a uma terra bombardeada pelos nazis, em França, durante a II Guerra Mundial, "Oradour sur Glane".
Iremos, mais uma vez, ao Mausoléu dos Tarrafalistas, em resposta ao seu apelo para que nunca os esqueçamos.