Luís Veiga Leitão. Homenagem ao poeta e cidadão antifascista no centenário do seu nascimento

luisveigaleitao.jpgLevanta a fronte, levanta!

Foi uma cela que te anoiteceu
Com charcos de medo e gelo?
Quem trouxe um sonho como o teu,
Jamais deve perdê-lo.
 Levanta a fronte, levanta!
Quem ergue a fronte, levanta a voz,
levanta o sonho num facho a arder:
Ele é maior que tu e todos nós
- um mundo por nascer.

Este poema de Luís Veiga Leitão (1912-1987), gravado em CD com música de Rao Kiao, encerrou a sessão de homenagem ao poeta e cidadão antifascista no centenário do seu nascimento, promovida pela URAP em parceria com a Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto e a UNICEPE - Cooperativa Livreira dos Estudantes do Porto.

homenagem_luis_veiga_leito.jpgA sessão ocorreu no Clube dos Fenianos do Porto, dia 15 de Dezembro, com a participação de mais de 90 pessoas, de várias gerações, tendo como convidados de honra Maria Sofia Monteiro, viúva do homenageado, hoje com 94 anos, com um passado antifascista de que se destacou a luta pela Paz e pelos direitos da Mulher, e seu filho e também grande democrata Veiga Luís.

A mesa foi constituída por representantes dos promotores da iniciativa: Maria José Ribeiro, moderadora, e Graciete Fernandes pela URAP; Francisco Mangas e Germano Silva pela Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto; e Rui Vaz pela UNICEP.
A projecção de uma curta metragem da jovem cineasta Nancy Sousa, com argumento de Veiga Luís, sobre a parte lírica da obra de Luis Veiga Leitão  -  a primeira da triologia   (lírica, resistência e pedra ) em desenvolvimento - , antecedeu as intervenções dos amigos do homenageado Francisco Mangas, Germano Silva, Rui Vaz  e Graciete Fernandes.
Graciete Fernandes (ver texto integral) traçou os dados biográficos de Veiga Leitão, desde o seu nascimento, em 1912, em Moimenta da Beira, à sua morte súbita, em 1987, no Brasil, destacando o percurso de antifascista e combatente do homenageado.
Na mesma linha falaram os três outros oradores, realçando contudo a sua obra poética, características pessoais e intervenção cultural e cidadã.

 

Algumas palavras sobre Veiga Leitão por Graciete Fernandes