URAP condena PSP no caso da Quinta da Carreira

Clemente alves vereador cdu detidoA URAP protesta contra a detenção do vereador da CDU na Câmara Municipal de Cascais Clemente Alves, no dia 2 de Maio, durante um protesto em São João do Estoril, acusado de ter desobedecido às autoridades e condena a atitude violenta e arbitrária da PSP.


Clemente Alves integrava um grupo de duas dezenas de moradores da Quinta da Carreira, em S. João do Estoril, que contestava as obras de construção de um parque de estacionamento em terreno classificado como REN, enquanto a população reivindica para o local a existência de um parque urbano.


A obra iniciou-se há dias, sem edital, sem aprovação em reunião da Câmara Municipal de Cascais e sem qualquer aviso aos moradores.


"É um absurdo. Eu não ofereci resistência nenhuma. Identifiquei-me e perguntei o que motivava ali a deslocação da polícia. O graduado de forma intempestiva disse que não tinha nada a dizer. Perante a minha insistência, começou a empurrar-me e eu desequilibrei-me, altura em que me algemaram e fui levado até à esquadra do Estoril", afirmou Clemente Alves à imprensa.


Segundo o vereador, a concentração do grupo de moradores estava decorrer de forma pacífica e tinha como objectivo chamar a atenção da comunicação social e dos responsáveis camarários para a necessidade de esclarecimentos sobre a obra. A PSP, chamada ao local pela empresa municipal Cascais Próxima, que realiza a obra, identificou ainda outros moradores.


A URAP, como organização defensora da liberdade e da democracia, considera o comportamento da PSP de antidemocrático e defende o direito das populações ao protesto e a serem informados. Repudia a forma inopinada como a PSP agiu e exige que se faça justiça quando na quarta-feira Clemente Alves se apresentar no Tribunal de Cascais, acusado de ter desobedecido às autoridades.