Terceira edição de livro sobre Peniche lançada no Forte

lancamento 3a edicao livro peniche s2José Pedro Soares, dirigente da URAP e ex-preso político, revelou que o Museu Nacional da Resistência deverá ser inaugurado dia 27 de Abril de 2019, após obras que se iniciarão no princípio do próximo ano, que obrigarão ao encerramento do Forte de Peniche.


O orador, que é também membro do Conselho Consultivo nomeado pelo ministro da Cultura, falava na sessão de lançamento da terceira edição do livro "Forte de Peniche – Memória, Resistência e Luta", editada pela União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP), que decorreu dia 28 de Outubro em Peniche, na presença de cerca de 70 pessoas.


A sessão foi presidida pela coordenadora da URAP que agradeceu a presença da vice-presidente da Câmara Municipal de Peniche e do chefe de gabinete do presidente, lembrou que a primeira edição tinha sido lançada na Fundação José Saramago - Casa dos Bicos, em Lisboa, e que "a ideia do livro surgiu em plena movimentação contra a decisão do governo de incluir o Forte de Peniche no Programa Revive, que abriria portas à instalação no local de uma pousada".

 


lancamento 3a edicao livro peniche s3Marília Villaverde Cabral referiu o "contributo do livro para a História do nosso país, porque nele estão gravados os nomes dos antifascistas que ali estiveram encarcerados" e lembrou a recente inauguração do monumento de homenagem aos presos políticos "que lembrará às gerações vindouras que houve quem se tivesse sacrificado pelo seu povo na luta pela liberdade por um Portugal melhor".


Coube a Victor Dias, um dos autores, apresentar a nova edição revista e actualizada, que contém mais dois capítulos do que as anteriores, nomeadamente sobre os compromissos oficiais do Conselho de Ministros no que respeita a criação do museu e a inauguração do monumento aos presos políticos "custeado pelo Município de Peniche" e que dignifica "a memória histórica da fortaleza".


Por proposta de algumas pessoas, foram ainda rectificados alguns dos nomes dos presos e profissões, tarefa difícil para os editores que respeitaram, como afirmou, "o que está nos registos criminais".


lancamento 3a edicao livro peniche s4Depois de sublinhar o êxito de vendas que levou a uma terceira edição, disse que a obra, que é uma compilação de muitas "coisas já escritas num único volume" sobre matérias como as condições prisionais e outras, tem o mérito de contar pormenorizadamente os acontecimentos ocorridos nos dias 25 e 26 de Abril de 1974, quando da libertação dos presos, e conter a lista de todos os presos encarcerados em Peniche.


Numa breve intervenção, a vice-presidente da Câmara Municipal, Ana Rita Petinga, definiu a Fortaleza como "um marco do passado e a memória viva do presente", acrescentando "que o respeito pelo ser humano é a esperança e a coragem de tantos homens e mulheres que por aqui passaram, enquanto o segredo da felicidade é somente a liberdade".

 


lancamento 3a edicao livro peniche s1Enquanto José Pedro Soares defendeu, na sua intervenção, como deverá ser o conteúdo do museu, que deverá "contar a história da fortaleza e a história da resistência", sugeriu ao mesmo tempo que a inauguração do museu se torne num dia de uma grande festa da resistência.


Esta sessão de lançamento realizou-se um ano depois (29 de Outubro de 2016) de um encontro-convívio no Forte de Peniche, onde cerca de 600 pessoas, muitas das quais ex-presos políticos, aprovaram o "Apelo ao Governo em defesa da Fortaleza de Peniche símbolo da repressão e da luta contra o fascismo". Dias depois, o forte seria retirado da lista de 30 edifícios que o governo iria concessionar a privados.